Sábado, 24 de Junho de 2006

Sente-me como um nada

As minhas palavras  riscam-se na transparência da solidão,

A solidão rebola num vento quente,

O amor cheira a podre,

A aromática vida sangra com os espinhos das malditas rosas,

As rosas choram um vermelho entristecido,

Um sofrimento adormecido que acordou para a vida,

O chão parece cair em pedaços,

As encostas da minha vida parecem congelar o sorriso que sempre tive,

Este texto tão depressa deixou de ter palavras douradas e passou a uma solidão,

A uma escuridão de palavras,

Essa solidão é quase como os passos que dou á tua procura

Mas de tanto procurar passos são pegadas...

Enraizei o meu amor aqui contigo mas hoje colhi um sofrimento,

Uma cicatriz no meu coração,

Sangra coração hoje e sempre enquanto esta solidão não passa...

                    

                            Obrigado se comentarem as minhas palavras...

Hoje preciso de palavras que só vocês sabem reluzir...

            Melancólica...

sinto-me: Inconsolável
música: She's the one

imaginado por electra às 12:48
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Catarina A. a 24 de Junho de 2006 às 22:43
Oi para quê tanta solidão nunca estarás sozinha estarei sempre aqui e sei que estarás sempre ao meu lado; agora que estás melhor espero que essa solidão desapareça, mas nunca acabes com os poemas melancólicos ok? Da tua Caty.


Comentar post

*mais sobre mim


* ver perfil

* seguir perfil

. 11 seguidores

*pesquisar

 

*Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

*posts recentes

* repara...

* Livro dos Poetas

* De mim para ti

*favoritos

* chuva

* reencontro

* volúpia

* cheers darlin'

* Se eu fosse...

* melodia

* resistir

* Dispença qualquer imagem,...

* Triângulo...

* colisão

SAPO Blogs

*subscrever feeds